Total de visitas: 8651
09 - Anjos no exército de Israel
09 - Anjos no exército de Israel

09 - Anjos no exército de Israel

“Então o anjo de Deus, que ia adiante do exército de Israel, se retirou e se pôs atrás deles...” (Êxodo 14.19).

Deus cuidava, dessa maneira, de seu povo especial, os israelitas, que estavam e estão sob o olhar de Deus, ao enviar um anjo para resguardá-los, nos tempos de Moisés. Ora o anjo ia à frente do exército, embora eles não o vissem na maioria das vezes; ora o anjo ia à retaguarda, e isso dava grande tranquilidade ao povo.

Ainda hoje, na contemporaneidade, isso também se dá com Israel.

O ditador egípcio Gamal Abdel Nasser (1958-1970), o líder árabe, assustou o mundo com sua ameaça. Nasser desafiava Israel ao combate quase diariamente: “Nosso objetivo básico será a destruição de Israel”.

O presidente do Iraque, Abdul Rahman Aref (1966-1968), tio de Saddam Hussein, juntou-se a essa guerra de palavras: A existência de Israel é um erro que deve ser retificado. Esta é a nossa oportunidade de varrer para fora a ignomínia que tem estado conosco desde 1948. Nossa meta é clara: varrer Israel do mapa!.

Na guerra do “Dia do perdão” (Yom Kippur ou Iom Quipur), uma das datas mais importante do judaísmo, momento em que Deus perdoa os judeus, segundo a tradição. Durante esse feriado sagrado há um jejum de 25 horas e orações intensas, entre setembro e outubro. Exatamente em seis de outubro de 1973, Israel foi atacado de surpresa pelo egípcio Anuar Sadat (Muhammad Anwar Al Sadat, 1970-1981), substituto de Nasser, que, junto com a Síria empreendeu ofensiva para reaver territórios conquistados por Israel na guerra dos seis dias, porém, mesmo atacados de surpresa os israelitas assumiram o controle completo da situação e quase se apoderaram do Egito, não fosse o cessar fogo intermediado pela ONU, por insistência do próprio Egito.

Nesse episódio de 1973, só o Egito lançou 700 mil homens na batalha, assessorados por 2.500 tanques, 650 aviões e 150 baterias de mísseis antiaéreos. E apesar de todo esse gigantesco aparato foram duramente abatidos, antes disso muita gente afirmou que só um milagre poderia salvar Israel. Esse milagre veio.

Os judeus foram vitoriosos. Muitos voltaram dos campos de batalhas contando que tinham visto milagres com os próprios olhos. Contaram que, em situações difíceis quando já não havia nenhuma possibilidade de sobrevivência, apareceu, por alguns segundos, entre as fileiras, um “varão de branco”, e os egípcios, tomados de pavor e assombro, fugiram. A Bíblia nos fala desses “varões vestidos de branco”, identificando-os como anjos.

“Estando eles (os discípulos, por ocasião da ascensão de Cristo) com os olhos fitos no céu, enquanto Ele (Jesus) subia, eis que junto deles apareceram dois varões vestidos de branco...” (Atos 1.10).

“Maria (Madalena), porém, estava em pé, diante do sepulcro, a chorar. Enquanto chorava, abaixou-se a olhar para dentro do sepulcro, e viu dois anjos vestidos de branco sentados onde jazera o corpo de Jesus, um à cabeceira e outro aos pés” (João 20.11,12).

Dois paraquedistas israelenses se depararam com um enorme tanque egípcio, do qual se sobressaiam dois soldados. Os dois israelenses interrogaram-se admirados dos soldados inimigos não matá-los, ou poderia ser uma emboscada? Os dois soldados no tanque, não se mexiam, pareciam rígidos. Os israelenses se aproximaram vagarosamente. Dentro do tanque havia 18 soldados inimigos em bom estado de saúde, ou seja; poderiam perfeitamente reagir, no entanto, todos eles levantaram as mãos com as armas em rendição, e o tanque estava cheio de armas. Perguntaram, então, por que eles não atiraram, eles não sabiam responder, apenas ficaram paralisados, ao avistarem os soldados israelitas e foram tomados por um medo terrível, a ponto de impedir-lhes qualquer reação.

Onde estão os perseguidores do minúsculo país que sempre esteve sob a proteção de Deus, inclusive, por meio de anjos? Aref morreu em 2007, após internamento por causa de uma simples fadiga. Nasser, derrotado na guerra dos seis dias, década depois, sofreu infarto fulminante. Anuar Sadat morreu em 1981, assassinado.

Muammar Kadafi, ditador líbio (1964-2011), considerado inimigo número “1” dos israelitas, em entrevista às páginas amarelas da revista VEJA, muito tempo atrás vociferou: “Os judeus tem de sair de Israel”! Ele foi combatido dentro de seu país, caçado, torturado e assassinado a tiros, sem nenhuma clemência. Todos estes, que queriam ver Israel varrido da face da terra, estão debaixo dela, enquanto o país continua de pé, por que tem a proteção do grande Deus, inclusive por meio de anjos.

- O que fazer para entrar em contato com o “meu” anjo?

Nada. Salientamos que o anjo não é “nosso”, apesar da força de expressão, e sim de Deus, digo; não o temos à disposição quando bem o queremos se assim o fosse pessoas não morreriam antes de completar seu ciclo de vida e de forma tão trágica. O seu “eterno anjo da guarda” não assistiria a isso impassível; é provável que o anjo fique mesmo impotente perante determinada situação, caso ele não tenha recebido ordem de Deus para interferir. O que a pessoa pode fazer? Estar em contato constante com Deus. A Bíblia nos diz: “orai sem cessar”, pedir com fé que o Senhor acampe o anjo dele ao nosso redor para dar livramento ou fazer qualquer outra coisa determinada por Deus, se assim Deus quiser e permitir. Que o Senhor Deus acampe o Seu anjo ao redor de cada um de nós, conforme a vontade e conveniência dele.

 

 

 

http://israelxxpalestina.blogspot.com.br/2007/07/6-guerra-dos-seis-dias.html

Vide tópico 56 - Referências Bibliográficas