Total de visitas: 8569
51 – Templários
51 – Templários

51 – Templários

“Falaram dos rituais templários...” (As Valkírias – pdf - meocloud- p. 11).

Segundo o livro O Código Da Vinci, de Dan Browne o roteirista Akiva Goldsman, “nove monges veteranos dirigiram-se ao rei de Jerusalém, Balduíno, e anunciaram a intenção de fundar uma Ordem de monges guerreiros, conta a lenda. Os monges foram instalados em uma parte do palácio, ruínas que outrora fora o suposto Templo de Salomão. Daí o nome ‘Cavaleiros dos Templos’, ou ‘Templários’. Apenas em 1127, no Concílio de Troyes, o papa Honório II aprovou os Templários como Ordem, e deu-lhes vestimenta especial: um hábito branco com uma cruz vermelha no peito.

Os Templários proferiam um culto baseado na síntese de várias filosofias e instituíram sete graus de iniciação, denominados, por exemplo, Companheiro, Mestre Perfeito, Cavaleiro da Cruz, Intendente da Caverna Sagrada, etc, ou seja, traziam consigo títulos que mais tarde seriam empregados pela maçonaria.

Segundo o mito, eles foram criados para protegerem a Terra Santa, mas isso era um disfarce para encobrir seu verdadeiro objetivo, encontrar um misterioso tesouro que trazia em si um grande segredo.

Em 1305 o papa Clemente V sobe ao Trono de São Pedro, e usou seu poder político para destruir os Templários. Segundo diziam, por revelação de Deus, ele chegou à conclusão que os Templários eram homossexuais, idólatras e adoradores do Demônio, portanto, era preciso livrar a terra desses hereges. Dizem que o objetivo do Papa, na verdade, era obter o “tesouro” e eliminar os que tinham conhecimento sobre ele.

Em 1307 todos os Templários foram presos em nome da Inquisição. Vários deles, após anos de prisão e tortura, foram mortos queimados pela fogueira. O que restou da Ordem Templária está na maçonaria, proclamadora da descendência especial da Ordem”.

Quem não é adepta da leitura esotérica, como eu, desconhece a origem dos Templários. Mas Dan Brown, com seu livro a ressuscitou.

O livro acrescenta: “Os Cavaleiros Templários seriam um grupo militar de apoio à fraternidade secreta chamada ‘Priorado de Sião’, e o Priorado seria responsável por guardar a mil chaves o grande segredo, mais tarde, conforme ‘descobertas’, não era exatamente um tesouro, mas uma taça, que apontava, simbolicamente, para Maria Madalena. O tal “cálice” representava o ventre feminino que levava a linhagem do sangue real, por ela ter sido esposa de Jesus e mãe de um filho dele, e Jesus não tinha nada de divino, muito menos era o filho de Deus.

É muita fantasia diabólica! Facilmente acolhida em detrimento a Palavra de Deus, que muitas vezes é ridicularizada, enquanto teorias, lendas, como estas são tão bem acatadas.

Vós torceis as palavras do Deus vivo, do Senhor dos Exércitos, o nosso Deus” (Jeremias 23.36).

“Deixando, pois, toda a malícia, todo o engano, e fingimentos, e invejas, e toda a maledicência, desejai como meninos recém-nascidos, o puro leite espiritual, não falsificado (essa falsificação inclui a falsa interpretação) a fim de por ele crescerdes para a salvação, se é que já provastes que o Senhor é bom...” (I Pedro 2.1-3).

O Diabo distorce a Palavra de Deus e induz o homem a práticas abomináveis, ele tentou o próprio Jesus. No período da tentação quis induzir Cristo ao pecado de “tentar a Deus”, para isso se firmou na Palavra, pois ele a conhece bem, e disse: “Se tu és o Filho de Deus, lança-te daqui abaixo; porque está escrito: Aos seus anjos dará ordens a teu respeito, e tomar-te-ão nas mãos para que nunca tropeces em alguma pedra”. (Mateus 4.6).

O versículo bíblico do Salmo 91.11, apresentado por Satanás, não condizia com o contexto, o objetivo do Diabo era fazer Jesus “brincar” com os milagres de Deus, com o poder que o Senhor lhe concedera, totalmente fora de hora e propósito, além de desviá-lo de seu intento de santificação.

“... Está escrito: aos seus anjos (Deus) dará ordem a teu respeito...” Satanás cita a palavra de Deus, reconhece a ação dos anjos, admitiu que existe uma “ordem” para que eles ajam. Mas ele nunca vai usar o conhecimento correto da palavra; será sempre mal interpretada, distorcida, apontada em outra direção. Faz isso largamente em relação a contatar anjos, conversar com eles, como se isso fosse coisa banal. A maioria está enganada, pensa que o espírito com quem vem “conversando”, vem “guiando-a”, é um anjo divino, na verdade não é outro, senão um anjo caído.

O Demônio aproveitou um momento de esgotamento físico de Jesus, a arma usada por Jesus foi o conhecimento seguro da palavra, rebateu-o, e disse-lhe: “Vai-te Satanás, porque está escrito: Ao Senhor, teu Deus, adorarás e só a ele servirás”. (Mt 4.10). Dito isso, o diabo o deixou e vieram os anjos e o serviram. Jesus ganhou a batalha por que tinha confiança no que aprendeu. Quem tem firmeza na palavra de Deus não se deixa enganar, saberá com facilidade distinguir o bem do mal.

Templários contemporâneos

Conforme explica o site tríada, “os Templários de hoje são pessoas que desejam estudar a história templária, e os que têm afinidade com suas tradições. São pessoas dedicadas a cuidarem de seus ‘templos’ pessoais, afirmam seus defensores. A Ordem do Templo, aqui no Brasil, é uma Ordem Cristã, defendem”.

Ainda segundo o blog o diário, “a Igreja Templária de Cristo na Terra (ITCT) é uma religião sincrética tendo por base elementos do Cristianismo, do Gnosticismo, da Psicologia e de religiões espiritualistas. Autodenomina-se uma “ordem militar dentro da Igreja Católica” advinda da Ordem dos Templários. Surgiu no estado de São Paulo, fundada pelo religioso pernambucano Walter Sandro, que se auto intitula “apóstolo”, após alegar ter visto e recebido ordens espirituais do Arcanjo Miguel, que lhe apareceu.

Segundo apologista Johnny Bernardo, o apóstolo Walter se dedicava à Psicologia e chegou a dar estudos esotéricos que envolvia reiki, ioga, sessões espíritas e sociedades secretas.

Em um artigo do seu blog, Bernardo apontou que já existem dez igrejas no Brasil, com um número de adeptos em torno de 10 mil (provavelmente hoje mais do que isso - 2019). A igreja possui um púlpito no formato da Cruz Templária e há figuras de budas, faraós e santos católicos. Bem como a imagem do Arcanjo Miguel na decoração de seu escritório, de acordo com o referido blog.

Segundo Bernardo, nas reuniões, os louvores são inspirados nas igrejas neopentecostais onde multidões entram em transes espirituais. O credo doutrinário da igreja é caracterizado pela “maldição hereditária”, “reencarnação”, “espiritualismo” e outras crenças, algumas oriundas do cristianismo. Determinadas regras como não ingerir café, carne ou açúcar (com exceção do mascavo) são impostas aos adeptos.

Nas reuniões conduzidas por Walter Sandro e equipe de obreiros, louvores evangélicos e campanhas inspiradas nas igrejas neopentecostais inundam multidões em transes espirituais, muitos dos quais são “exorcizados”.

Ao realizar um exorcismo Walter faz sucessivos sinais da cruz, que, segundo ele, livra a vítima da possessão.

É possível encontrar o apóstolo Walter Sandro, também, na TV. O mesmo é visto em programa pela madrugada, momento em que ele prega e fala “língua estranha”. Estranha mesmo!

 

 

 

http://www.spectrumgothic.com.br/ocultismo/templário.htm

As Valkírias – pdf-https://meocloud.pt/link - https://cld.pt/dl/download/

GOLDSMAN, Akiva. O Código Da Vinci – Roteiro Ilustrado. Sextante, Rio de Janeiro, 2006.

http://www.triada.com.br/cultura/sociedades-secretas/

https://pt.wikipedia.org/wiki/Igreja_Templária_de_Cristo_na_Terra

http://blogs.odiario.com/inforgospel/2012/06/13/igreja-templaria...

BÍBLIA Sagrada (Eletrônica, AT e NT). Europa Multimídia. Programação: Leandro Calçada, Ilustração: Wilson Roberto Jr. Colaboração: Thélos Associação Cultural.

BROWN, Dan. “O Código Da Vinci”, Editora Sextante, Rio de Janeiro, 2004.

COELHO, Paulo. As Valkírias. 76ª ed. Rio de Janeiro. Editora Rocco, 1992.

prelielsoares.blogspot.com (por Johonny Bernardo)

jtbernardo.blogspot.com/

Vide tópico 56 - Referências Bibliográficas