Total de visitas: 18171
18 - A Bíblia está acima da Igreja?
18 - A Bíblia está acima da Igreja?

18 - A Bíblia está acima da Igreja?

Em um debate na "Rede TV" o padre participante se enrolou todo ao tentar explicar a adoração aos “santos”. Falou, falou... E nada explicou, e batia muito na tecla: “a Igreja fala, a Igreja ordena, a Igreja conclui...”. Em nenhum momento ele citou a Bíblia. Infelizmente a Igreja Católica se considera precedente à Bíblia. Isso jamais deveria ocorrer, e não é fato. A Bíblia contém a Verdade para nós cristãos.

A Igreja, seja ela qual for, pode até criar suas regras, seus estatutos, mas, se não estiver fundamentada na Palavra de Deus, não deverá ser considerado. A Igreja foi formada por meio da Palavra; e não a Palavra por meio da Igreja. A Palavra tem que sobressair-se.

Há quem diga que os evangélicos só se baseiam na Bíblia. Acha pouco?! Acha mesmo que um livro escrito com a inspiração do Espírito Santo fica a dever, a ponto de precisarmos de “suporte” de meros teóricos? Eu fico com a Palavra de Deus.

Vi um pensamento atribuído a Charles Spurgeon (Charles Haddon Spurgeon, pregador Batista, reformado, britânico), sobre a Igreja, inserido nesse contexto: “A igreja não determina o que a Bíblia ensina, é a Bíblia que determina o que a igreja deve ensinar”.

Quando Jesus escolheu os setenta discípulos e ordenou que fossem de dois em dois qual era o objetivo primário? Levar a Palavra, “pregar o Evangelho”, dizer “que é chegado o reino dos céus”, que houvesse arrependimento, por meio da Palavra falada. Só depois, com o ajuntamento desses arrependidos, convertidos, é que teve a formação oficial da Igreja, que passaria a se pautar, não pelos costumes antigos, mas pela Palavra de Deus: “E não andareis nos costumes dos povos que eu expulso de diante de vós; porque eles fizeram todas estas coisas, e eu os abominei. Eu sou o Senhor vosso Deus, que vos separei dos povos” (Levítico 20.23,24).

Fiquei admirada ao ler uma declaração de alguém do povo, provavelmente, que dizia “a igreja é maior do que a Bíblia”. Mas fiquei mais abismada quando vi um vídeo que corre na internet de um sacerdote católico que veste uma batina aparentemente azul marinho, e usa uma espécie de quipá roxo, afirmando que a Igreja é maior do que a Bíblia (realmente, para eles) e, dizia: “Quando um católico se coloca acima da igreja para julgá-la, já deixou de ser católico, e quando o católico diz: eu vou pegar a Bíblia para ver o que a igreja está dizendo, ele já virou protestante. Aqui está o erro dos protestantes, eles colocam a Bíblia acima da igreja, isso é bobagem pura! A Bíblia nasceu da igreja”. Que pensamento temível, errôneo e de conhecimento raso, considerando que ele é um sacerdote bem inteligente. Descobri só depois. Trata-se de Dom Henrique Soares, bispo de Palmeiras, MG.

“...das quais coisas alguns se desviaram, e se entregaram a discursos vãos, querendo ser doutores da lei, embora não entendam nem o que dizem nem o que com tanta confiança afirmam” (I Timóteo 1.6,7).

“Doutores da lei”, “doutores da teologia”. Muitos falam e pouco sabe, poucos levam a sério a escrita bíblica.

Vale relembrar, como já foi falado, que o primeiro escritor da Bíblia, foi o próprio Deus quando escreveu a Lei nas tábuas de pedra (“Então o Senhor escreveu nas tábuas, conforme a primeira escritura, os dez mandamentos, que ele vos falara no monte, do meio do fogo, no dia da assembleia; e o Senhor as deu a mim”. Deuteronômio 10.4), o segundo foi Moisés (“Então disse o Senhor a Moisés: Escreve isto para memorial num livro...” Êxodo 17.14), depois vieram muitos outros, todos por meio da ordenança divina e inspirados pelo Espírito Santo.

No princípio o povo ouvia a Palavra de Deus, de forma oral, falada, em reunião. Inclusive era exigido que reunissem as crianças também, para que as mesmas, no futuro, relatassem as experiências do povo com Deus, bem como a sua vontade.

“Congregai o povo, homens, mulheres e pequeninos, e os estrangeiros que estão dentro das vossas portas, para que ouçam e aprendam, e temam ao Senhor vosso Deus, e tenham cuidado de cumprir todas as palavras desta lei...” (Deuteronômio 21.12).

“E, acabando Moisés de falar todas essas palavras a todo o Israel, disse-lhes: Aplicai o vosso coração a todas as palavras que eu hoje vos testifico, as quais haveis de recomendar a vossos filhos, para que tenham cuidado de cumprir todas as palavras desta lei” (Deuteronômio 32.45,46).

A Palavra do Senhor é anterior a tudo, pois ela já existia no céu: à criação do mundo, à formação da raça humana, da vida, à formação de seu filho Jesus e da Igreja. A Bíblia contém um compêndio de sua vontade, ordenada a todos os homens, independente de raça e cultura, e o início de tudo começa com a Palavra Criadora de Deus: haja!

Cristo é a própria Palavra: “No princípio era o Verbo, e o Verbo estava com Deus, e o Verbo era Deus” (João 1.1).“Responderam os guardas: Nunca homem algum falou assim como este homem” (João 7.46). Colocar a Bíblia em segundo plano, abaixo da igreja, é menosprezar as palavras de Cristo, ao contrário do que fizeram esses homens que engrandeceram as palavras de Jesus. Vamos conhecer que homem é esse, vamos descobrir o que ele falou, a ponto de espantar os guardas, no versículo citado, lendo a Bíblia Sagrada.

Observando o livro de gênesis, no capítulo primeiro, em especial o versículo três, nos conta: “E disse Deus: HAJA!” E o que no princípio era sem forma, vazio, e inexistente; passou a existir, por causa da palavra ordenativa dEle. Entre Deus e o homem existe a Palavra Divina. Por causa dela foi formado o primeiro homem, a sociedade, o sistema da mesma.

“... pela palavra (oral) do Senhor foram feitos os céus, e todo o exército deles...” (Salmo 33.6).

“... engrandeceste acima de tudo o teu nome e a tua Palavra. ...Todos os reis da terra de louvarão, ó Senhor, quando ouvirem as palavras da tua boca.... (Salmo 138.2).

“... Ele (Deus) nos gerou pela palavra da verdade, para que fôssemos como que primícias das suas criaturas” (Tiago 1.18).

“Pela fé entendemos que os mundos foram criados pela palavra de Deus...” (Hebreus 11.3).

- Pela fé cremos que a Palavra do Senhor está no céu, como foi referido, e vem do céu

“Para sempre, ó Senhor, a tua palavra está firmada nos céus”. (Salmo 119.89).

- Inspirada pelo Espírito Santo

“Porque a profecia (Palavra) nunca foi produzida por vontade dos homens, mas os homens da parte de Deus falaram movidos pelo Espírito Santo” (II Pedro 1.21– É o que nos informa o apóstolo Pedro).

Podemos ver o começo da Bíblia, da Palavra escrita em rolo, no Antigo Testamento, quando não se falava na formação da “igreja”, propriamente dita. Havia apenas a congregação do povo:

“Também (Moisés) tomou o livro do pacto e o leu perante o povo; e o povo disse: Tudo o que o Senhor tem falado faremos, e obedeceremos” (Êxodo 24.7).

“Depois leu em alta voz todas as palavras da lei, a bênção e a maldição, conforme tudo o que está escrito no livro da lei (Já lendo Deuteronômio 28). Palavra nenhuma houve, de tudo o que Moisés ordenara, que Josué não lesse perante toda a congregação de Israel, e as mulheres, e os pequeninos, e os estrangeiros que andavam no meio deles” (Josué 8.34,35).

“...foi feita uma busca nos arquivos onde se guardavam os tesouros em Babilônia. E em Ecbatana, a capital, que está na província da Média, se achou um rolo, e nele estava escrito um memorial, que dizia assim:

No primeiro ano do rei Ciro, o rei Ciro baixou um decreto com respeito à casa de Deus em Jerusalém: Seja edificada a casa, o lugar em que se oferecem sacrifícios... ...para que ofereçam sacrifícios de cheiro suave ao Deus do céu, e orem pela vida do rei e de seus filhos. Também por mim se decreta que a todo homem que alterar este decreto, se arranque uma viga da sua casa e que ele seja pregado nela; e da sua casa se faça por isso um monturo” (Esdras 6.1,2,3,10,11).

E ainda:

“Será também que, quando se assentar sobre o trono do seu reino, escreverá para si, num livro, uma cópia desta lei, do exemplar que está diante dos levitas sacerdotes. E o terá consigo, e nele lerá todos os dias da sua vida, para que aprenda a temer ao Senhor seu Deus, e a guardar todas as palavras desta lei, e estes estatutos, a fim de cumpri-los...” (Deuteronômio 17.18,19).

“Não se aparte da tua boca o livro desta lei, antes medita nele, dia e noite, para que tenhas cuidado de fazer conforme a tudo quanto nele está escrito; porque então farás prosperar o teu caminho e então prudentemente te conduzirás” (Josué 01.8).

- Deve ser guardada no coração, para colocarmos sempre em prática a qualquer momento

“Ponde, pois, estas minhas palavras no vosso coração e na vossa alma para que se multipliquem os vossos dias e os dias de vossos filhos na terra que o Senhor, com juramento, prometeu dar a vossos pais, enquanto o céu cobrir a terra” (Deuteronômio 11.17-21).

- O objetivo das Sagradas Escrituras é ensinar, é guiar o ser humano no bom caminho. Através dela o homem se separa do pecado

Toda Escritura (a Bíblia) é divinamente inspirada e proveitosa para ensinar, para repreender, para corrigir, para instruir em justiça; para que o homem de Deus seja perfeito, e perfeitamente preparado para toda boa obra” (II Timóteo 3.16,17).

“Porquanto, tudo que dantes foi escrito, para nosso ensino foi escrito, para que, pela constância e pela consolação provenientes das Escrituras, tenhamos esperança”. (Romanos 15.4).

- A Palavra Sagrada limpa, purifica a alma, modifica atitudes, salva

“Vós já estais limpos pela palavra que vos tenho falado” (João 15.3).

“Já que tendes purificado as vossas almas na obediência à verdade, que leva ao amor fraternal não fingido, de coração amai-vos ardentemente uns aos outros, tendo renascido, não de semente corruptível, mas de incorruptível, pela palavra de Deus, a qual vive e permanece” (I Pedro 1.22,23).

“Como purificará o jovem o seu caminho? Observando-o de acordo com a tua palavra. De todo o meu coração tenho te buscado; não me deixes desviar dos teus mandamentos. Escondi a tua palavra no meu coração, para não pecar contra ti (ante a tentação lembra da Palavra e evita o pecado). Bendito és tu, ó Senhor; ensina-me os teus estatutos” (Salmo 119.9-12).

“Pelo que, despojando-vos (livrando-se) de toda sorte de imundícia e de todo vestígio do mal, recebei com mansidão a palavra em vós implantada, a qual é poderosa para salvar as vossas almas. E sede cumpridores da palavra e não somente ouvintes, enganando-vos a vós mesmos” (Tiago 1.20-22).

- Lembrando que se não a estudarmos, não podemos compreendê-la

“Jesus, porém, lhes respondeu: Errais, não compreendendo as Escrituras nem o poder de Deus...” (Mateus 22.29).

“Respondeu-lhes Jesus: Porventura não errais vós em razão de não compreenderdes as Escrituras nem o poder de Deus?” (Marcos 12.24).

Precisamos não apenas ler, mas pedir ao Espírito Santo que nos ajude a compreendê-la e a sermos convencidos de sua verdade, obedecê-la e pô-la em prática.

João começa seu Evangelho afirmando:

“No princípio era o VERBO, e o Verbo estava com Deus e o Verbo era Deus” (João 1.1 - do grego “logos”, palavra).

João denomina Jesus como “o Verbo”. Cristo era a própria Palavra, ele o apresenta como a Palavra de Deus personificada.

A expressão “a palavra de Deus”, obviamente refere-se, em primeiro lugar, a tudo quanto Deus tem falado diretamente. Os primeiros a receber sua Palavra foram Adão e Eva (Gênesis 2.16,17; Gênesis 3.9-19), depois Deus falou ao povo por meio dos profetas, pediu que a Palavra fosse divulgada oralmente. Tempos depois escreveu as tábuas da Lei e a seguir ordenou a Moisés que as registrasse em um livro, resumidamente.

O primeiro pecado do homem na Bíblia foi desobedecer a Palavra: “Ordenou o Senhor Deus ao homem, dizendo: De toda árvore do jardim podes comer livremente; mas da árvore do conhecimento do bem e do mal, dessa não comerás...” (Gênesis 2.16,17 – (...) “Comeste da árvore de que te ordenei que não comesses?... O Senhor Deus, pois, o lançou fora do jardim do Éden para lavrar a terra, de que fora tomado” (Gênesis 3.11,23).

O castigo foi inevitável.

- Pessoas foram mortas para defender essa Palavra, de uma forma ou de outra

“Quando abriu o quinto selo, vi debaixo do altar as almas dos que tinham sido mortos por causa da palavra de Deus e por causa do testemunho que deram”. (Apocalipse 6.9).

Vejamos algumas narrativas e declarações sobre a Palavra:

“... Samuel disse a Saul: Dize ao moço que passe adiante de nós (e ele passou); tu, porém, espera aqui, e te farei ouvir a palavra de Deus”  (I Samuel 9.27).

“Então lhe pregaram a palavra de Deus, e a todos os que estavam em sua casa” (Atos 16.32).

“Mas, logo que os judeus de Tessalônica souberam que também em Bereia era anunciada por Paulo a palavra de Deus, foram lá agitar e sublevar as multidões” (estes atrapalhavam com desprezo à Palavra - Atos 17.13.13).

“Tomai também o capacete da salvação, e a espada do Espírito, que é a palavra de Deus...” (Efésios 6.17).

Essa “espada” é nossa “arma” contra o pecado, caso pendamos para o mal, devemos pensar: o que a Bíblia fala sobre isso? O ensino bíblico nos corrige, esse ensino corta em pedaços o pecado não sobrando mais nada em nós mesmos.

“... que a palavra de Deus não seja blasfemada” (Tito 2.5).

Pelos teus preceitos alcanço entendimento (à medida que vamos lendo aumenta nossa compreensão e fé), pelo que aborreço toda vereda de falsidade (falsos ensinos aprendidos). Lâmpada para os meus pés é a tua palavra, e luz para o meu caminho(ilumina nosso caminho espiritual). Fiz juramento, e o confirmei, de guardar as tuas justas ordenanças” (Salmo 119.104-106).

“Então todo o povo se ajuntou... na praça diante da porta das águas; e disseram a Esdras, o escriba, que trouxesse o livro da lei de Moisés (o Pentateuco), que o Senhor tinha ordenado a Israel. E Esdras, o sacerdote, trouxe a lei perante a congregação, tanto de homens como de mulheres, e de todos os que podiam ouvir com entendimento (no caso das crianças)... E leu...; e os ouvidos de todo o povo estavam atentos ao livro da lei. E Esdras leu no livro da lei de Deus todos os dias...” (Neemias 8.1-3,18).

“Quanto às obras dos homens, pela palavra dos teus lábios eu me tenho guardado dos caminhos do homem violento” (Salmo 17.4).

“Retenho os meus pés de todo caminho mau, a fim de observar a tua palavra” (Salmo 119.101).

“O Senhor se compraz-nos que o temem, nos que esperam na sua benignidade... Porque ele fortalece as trancas das tuas portas; abençoa aos teus filhos dentro de ti. Ele é quem estabelece a paz nas tuas fronteiras... quem envia o seu mandamento pela terra; a sua palavra corre mui velozmente” (Salmo 147.11-15).

Ó terra, terra, terra; ouve a palavra do Senhor” (Jeremias 22.29).

“Se, porém, são profetas, e se está com eles a palavra do Senhor, intercedam agora junto ao Senhor dos exércitos...” (e veja se receberá resposta? - uma ironia, nas entrelinhas, para os falsos seguidores de Deus - Jeremias 27.18).

“Eis que vêm os dias, diz o Senhor, em que cumprirei a boa palavra que falei”. (Jeremias 33.14).

E divulgava-se a palavra de Deus, de sorte que se multiplicava muito o número dos discípulos em Jerusalém e muitos sacerdotes obedeciam à fé” (Atos 6.7).

“Porque nós não somos falsificadores da palavra de Deus (falsifica-se, inclusive, quando interpretamos de forma errônea o sentido da mesma), como tantos outros; mas é com sinceridade, é da parte de Deus e na presença do próprio Deus que, em Cristo, falamos” (II Coríntios 2.17). 

Fiel é esta palavra, e quero que a proclames com firmeza para que os que creem em Deus procurem aplicar-se às boas obras. Essas coisas são boas e proveitosas aos homens” (Tito 3.8).

Caso venhamos a ser guiados por conhecimento que vai contra o ensino bíblico, estaremos nos deixando guiar por fábulas (fantasias, mitos, tradições infundadas). Repetirei alguns versículos sobre fábulas:

“Propondo estas coisas aos irmãos, serás bom ministro de Cristo Jesus... mas rejeita as fábulas profanas e de velhas” (I Timóteo 4.6,7).

Que coisa clara! “fábulas velhas”, como se não bastasse, “profanas”.

“... tendo grande desejo de ouvir coisas agradáveis, ajuntarão para si mestres segundo os seus próprios desejos, e não só desviarão os ouvidos da verdade, mas se voltarão às fábulas” (II Timóteo 4.3,4).

“Ajuntarão para si mestres”. Esses “mestres”, “pastores”, “padres”, que não ensinam sobre como evitar não só os pecados graves, como a forma simples de pecar, pois nos parece que pecado para estes é só roubo, violência, assassinato, estupro, etc. Porque até as “mentirinhas do bem” não são nada demais. Ter vícios, lícitos ou não, andar seminu, ser egoísta, magoar as pessoas..., etc., muito menos.

Em boa parte do meio evangélico a placa da igreja está sendo colocada acima da Palavra, também, pois citam muito a denominação e pouco o nome de Jesus e a preocupação maior são com a prosperidade, com o quanto se adquiriu. Pouco se fala em evitar o pecado, sobre salvação, perdição... etc.

“... repreende-os severamente, para que sejam são na fé, não dando ouvidos... a mandamentos de homens que se desviam da verdade” (Tito 1.13,14).

 “A igreja, por si só, não salva ninguém, mas a igreja errada pode tirar a sua salvação”, esse é um pensamento que corre no facebook. A Bíblia corrobora “Há um caminho que ao homem parece direito, mas o fim dele conduz à morte” (Provérbios 16.25).

A igreja é apenas o canal de ensino que conduz à salvação, através da Palavra. Primeiro houve a salvação individual, por meio de convencimento do Espírito Santo, depois é que veio o agrupamento desses salvos,todos aqueles a quem Cristo alcançou e que deram origem à Igreja.

“Eis que vos ensinei estatutos e preceitos, como o Senhor meu Deus me ordenou, para que os observeis no meio da terra... Guardai-os e observai-os, porque isso é a vossa sabedoria e o vosso entendimento à vista dos povos...” (Deuteronômio 4.5,6).

Eu te ensinei o caminho da sabedoria; guiei-te pelas veredas da retidão. Quando andares, não se embaraçarão os teus passos; e se correres, não tropeçarás. Apega-te à instrução e não a largues; guarda-a, porque ela é a tua vida. Não entres na vereda dos ímpios, nem andes pelo caminho dos maus. Evita-o, não passes por ele; desvia-te dele e passa de largo” (Provérbio 4.11-15).

Veja esse versículo, quão claro é esse texto. Quantos bons conselhos! Qual a dificuldade de compreensão, nesse caso? O que há nele que não se possa entender, e na íntegra? Entendemos apenas esse aí? Pois fiquemos com esse pequeno trecho que contem grandes direcionamentos.

Hoje em dia existem as Bíblias “Na Linguagem de Hoje” e Bíblias com letras extra gigante trazendo mais facilidade. Mas o povo cria todo tipo de desculpa para não ler, existe, inclusive, a indiferença.

- A Palavra, o Evangelho de Cristo, é para ser pregada

“E disse-lhes: Ide por todo o mundo, e pregai o evangelho a toda criatura” (Marcos 16.15).

“... levantou-se Pedro e disse-lhes: Irmãos, bem sabeis que já há muito tempo Deus me elegeu dentre vós, para que os gentios ouvissem da minha boca a palavra do evangelho e cressem. E Deus, que conhece os corações, testemunhou a favor deles, dando-lhes o Espírito Santo, assim como a nós; e não fez distinção alguma entre eles...” (Atos 15.7-9).

- É necessário que se evangelize por meio da Palavra

“... mas a palavra do Senhor permanece para sempre. E esta é a palavra que vos foi evangelizada” (I Pedro 1.25).

“E o Senhor era com Jeosafá, porque andou conforme os primeiros caminhos de Davi, seu pai (patriarcal), e não buscou aos baalins (ídolos, estauetas); antes buscou ao Deus de seu pai, e andou nos seus mandamentos... E encorajou-se o seu coração nos caminhos do Senhor... No terceiro ano do seu reinado enviou ele os seus príncipes... para ensinarem nas cidades de Judá... E ensinaram em Judá, levando consigo o livro da lei do Senhor; foram por todas as cidades de Judá, ensinando entre o povo. Então caiu o temor do Senhor sobre todos os reinos das terras que estavam ao redor de Judá, de modo que não fizeram guerra contra Jeosafá”. (II Crônicas 17.3-10).

Olha só a estratégia desse rei: ao invés dele se preparar para enfrentar os inimigos ele foi falar sobre o Deus Poderoso para o povo de Judá. Por conta desse gesto os povos em redor foram tomados de grande medo e evitaram perseguir a Josafá.

Conforme o exemplo bíblico, nós evangélicos levamos sempre conosco um exemplar da Bíblia, e estamos atentos quanto ao que o pregador está pregando. Caso ele esteja com interpretações que fogem da Verdade Divina, não aceitamos. Somos bem radicais nisso.

Outro dia, na congregação em meu bairro, pude ouvir com satisfação, o presbítero que a administra, dizer: “Não olhem para mim, pois sou falho, não se deixem levar pelo o que eu digo, se for de mim mesmo. Olhe para Jesus e ouça o que ele diz por meio da Bíblia”. Aprendemos isso constantemente, graças a Deus!

- O Evangelho foi pregado há milênios ao patriarca Abraão

“Ora, a Escritura, prevendo que Deus havia de justificar pela fé os gentios, anunciou previamente a boa nova (Evangelho) a Abraão, dizendo: Em ti serão abençoadas todas as nações” (Gálatas 3.8).

“Abençoadas todas as nações”, só seria possível por meio de uma Nova Aliança, por meio do Reino de Deus que estaria chegando trazendo a salvação, primeiro aos judeus, como a maioria deles rejeitou o Messias, essa salvação se estendeu aos gentios, a todas as nações.

“Eis sobre os montes os pés do que traz boas novas, do que anuncia a paz!...” (Naum 1.15).

- Deus, já no Antigo Testamento mandava que a Bíblia fosse escrita

"Vai, pois, agora, escreve isso numa tábua perante eles, registra-o num livro; para que fique como testemunho para o tempo vindouro, para sempre. Pois este é um povo rebelde, filhos mentirosos, filhos que não querem ouvir a lei do Senhor...” (Isaías 30.8,9).

- Quem não se pauta pela Bíblia não encontra a salvação

A salvação está longe dos ímpios, pois não buscam os teus estatutos” (regulamentos - Salmo 119.155).

Muitos dizem: “eu aceito Jesus”, “eu já o aceitei”, “é claro que eu também o tenho”, porém, se aquele que diz realmente tê-lo, mas aceita apenas parte de sua Palavra, este está rejeitando a Cristo:

“E, se alguém ouvir as minhas palavras, e não as guardar, eu (Jesus) não o julgo; pois eu vim, não para julgar o mundo, mas para salvar o mundo. (Porém) Quem me rejeita, e não recebe as minhas palavras, já tem quem o julgue; A PALAVRA que tenho pregado, essa o julgará no último dia. Porque eu não falei por mim mesmo; mas o Pai, que me enviou, esse me deu mandamento quanto ao que dizer e como falar.  E sei que o seu mandamento é vida eterna. Aquilo, pois, que eu falo, falo-o exatamente como o Pai me ordenou”  (João 12.47-50).

“... porque assim nos ordenou o Senhor: Eu te pus para luz dos gentios, a fim de que sejas para salvação até os confins da terra. Os gentios (pessoas não judias, de outras religiões), ouvindo isto, alegravam-se e glorificavam a palavra do Senhor; e creram todos quantos haviam sido destinados para a vida eterna. E divulgava-se a palavra do Senhor por toda aquela região” (Atos 13.47-49).

“Porque não me envergonho do evangelho, pois é o poder de Deus para salvação de todo aquele que crer...” (Romanos 1.16).

O sacerdote que não ensina a Palavra correta ao povo, aos seus membros, aos seguidores de Cristo, contribui para a condenação do povo, por conseguinte, a condenação dele será dupla:

“... é contigo a minha contenda, ó sacerdote. Por isso tu tropeçarás de dia, e o profeta (auxiliar) contigo tropeçará de noite... O meu povo está sendo destruído, porque lhe falta o conhecimento (o tal sacerdote não ensina corretamente). Porquanto rejeitaste o conhecimento, também eu te rejeitarei, para que não sejas sacerdote diante de mim (na salvação); visto que te esqueceste da lei do teu Deus... Quanto mais eles se multiplicaram tanto mais contra mim pecaram: Eu mudarei a sua honra em vergonha... Por isso, como é o povo, assim será o sacerdote; e castigá-lo-ei conforme os seus caminhos, e lhe darei a recompensa das suas obras” (Oseias 4.4-9).

- Há os que desprezam a Palavra do Senhor 

“Eles, porém, zombavam dos mensageiros de Deus, desprezando as suas palavras e mofando (escarnecendo) dos seus profetas (pregadores), até que o furor do Senhor subiu tanto contra o seu povo, que mais nenhum remédio houve” (II Crônicas 36.16).

 “Vi os pérfidos (infiéis, desleais), e me afligi, porque não guardam a tua palavra”. (Salmo 119.158).

O que despreza a palavra traz sobre si a destruição; mas o que teme o mandamento será galardoado. O ensino do sábio é uma fonte devida para desviar dos laços da morte” (Provérbio 13.13,14).

A quem falarei e testemunharei, para que ouçam? eis que os seus ouvidos estão incircuncisos (não querem saber), e eles não podem ouvir; eis que a palavra do Senhor se lhes tornou em opróbrio (execração, pouco caso); nela não têm prazer” (Jeremias 6.10).

- Deus pune quem despreza seus estatutos, e não retira o castigo

“Ai dos que são sábios a seus próprios olhos, e astutos em seu próprio conceito...  ...rejeitaram a lei do Senhor dos exércitos, e desprezaram a palavra do santo de Israel, Por isso se acendeu a ira do Senhor contra o seu povo, e o Senhor estendeu a sua mão contra ele...” (Isaías 5.21-24).

“Assim diz o Senhor... ...não retirarei o castigo; porque rejeitaram a lei do Senhor, e não guardaram os seus estatutos, antes se deixaram enganar por suas próprias mentiras, após as quais andaram seus pais” (Amós 2.4).

- Mas, paradoxalmente, haverá tempo em que muitos sentirão uma profunda sede espiritual e desejarão, ardentemente, serem saciados pela Palavra

“Eis que vêm os dias, diz o Senhor Deus, em que enviarei fome sobre a terra; não fome de pão, nem sede de água, mas de ouvir as palavras do Senhor. Andarão errantes de mar a mar, e do norte até o oriente; correrão por toda parte, buscando a palavra do Senhor, e não a acharão” (Amós 8.11,12).

Isso se dará, provavelmente, quando o mundo atingir grande degradação, quando a Igreja já tiver sido arrebatada, tempo em que terão “nojo de si mesmos” (Ezequiel 6.9). A emanação espiritual contida na Bíblia, já não existirá.

Como é possível ter sede por aquilo que nunca se bebeu? Mas haverá um período em que muitos rejeitadores dessa Palavra terão sede, espiritual dela, terão desejos ardentes de ouvi-la. Eles correrão desesperados atrás dessa fonte. Infelizmente não a encontrarão. Isso trará uma horrível e perturbadora inquietude. Acho que alguns enlouquecerão.

Indo para o apocalipse vê-se que esse livro se encerra com a observação rigorosa de que a Palavra não seja alterada, acrescentada ou suprimida, “quaisquer das profecias de Deus”. Isso, com intenção de dar outro sentido ou de desvalorizar a Palavra, deixando-a de acordo com a vontade humana (diferente de resumo). Quem assim o fizer sofrerá a mais terrível pena, que é a perda da salvação (Apocalipse 22.18,19).

- Jesus lia a Palavra

“Quanto aos mortos, porém, serem ressuscitados, não lestes no livro de Moisés, onde se fala da sarça, como Deus lhe disse: Eu sou o Deus de Abraão, o Deus de Isaque e o Deus de Jacó?” (Marcos 12.26. Citando Êxodo 3.1-6).

“Hipócritas! bem profetizou Isaías a vosso respeito, dizendo: Este povo honra-me com os lábios; o seu coração, porém, está longe de mim” (Mateus 15.7,8. Citando Isaías 29.13).

“Foi-lhe entregue o livro do profeta Isaías; e abrindo-o, achou o lugar em que estava escrito: O Espírito do Senhor está sobre mim, porquanto me ungiu para anunciar boas novas aos pobres; enviou-me para proclamar libertação aos cativos, e restauração da vista aos cegos, para pôr em liberdade os oprimidos, e para proclamar o ano aceitável do Senhor. E fechando o livro, devolveu-o ao assistente e sentou-se; e os olhos de todos na sinagoga estavam fitos nele” (Lucas 4.16-20).

“Porventura não importa que o Cristo padecesse essas coisas e entrasse na sua glória? E, começando por Moisés, e por todos os profetas, explicou-lhes o que dele se achava em todas as Escrituras” (Lucas 24.26,27).

- Jesus previa a publicação das Escrituras Sagradas

“Estando Jesus em Betânia, em casa de Simão, o leproso, aproximou-se dele uma mulher que trazia um vaso de alabastro cheio de bálsamo precioso, e lho derramou sobre a cabeça, estando ele reclinado à mesa. Quando os discípulos viram isso, indignaram-se, e disseram: Para que este desperdício? Pois este bálsamo podia ser vendido por muito dinheiro, que se daria aos pobres.

Jesus, porém, percebendo isso, disse-lhes: Por que molestais esta mulher? Pois praticou uma boa ação para comigo. Porquanto os pobres sempre os tendes convosco; a mim, porém, nem sempre me tendes. Ora, derramando ela este bálsamo sobre o meu corpo, fê-lo a fim de preparar-me para a minha sepultura. Em verdade vos digo que onde quer que for pregado em todo o mundo este evangelho, também o que ela fez será contado para memória sua” (Mateus 26.6-13).

- O próprio Jesus manda que a Palavra seja escrita

“Eu sou o que vivo; fui morto, mas eis aqui estou vivo para todo o sempre! e tenho as chaves da morte e do inferno. Escreve, pois, as coisas que tens visto, e as que são, e as que depois destas hão de suceder” (Apocalipse 1.18,19).

- Jesus nos deu uma ordem

“E disse-lhes: Ide por todo o mundo, e pregai o evangelho a toda criatura. Quem crer e for batizado será salvo; mas quem não crer será condenado” (Marcos 16.15,16).

- Ai de quem despreza a Palavra

“Pelo que, como a língua de fogo consome o restolho, e a palha se desfaz na chama assim a raiz deles será como podridão, e a sua flor se esvaecerá como pó; porque rejeitaram a lei do Senhor dos exércitos, e desprezaram a palavra do santo de Israel, por isso se acendeu a ira do Senhor contra o seu povo, e o Senhor estendeu a sua mão contra ele, e o feriu...” (Isaías 5.24,25).

Quando se fala em “rejeitar” e “desprezar”, refere-se àqueles que não querem levar a Palavra “ao pé da letra”. Fazem rodeio... Dão uma versão atenuada... Concilia a Palavra com ensino meramente humano, enganoso... Consideram a Bíblia arcaica, pois os tempos são outros... A sociedade mudou... Mas Deus é o mesmo: “Pois eu, o Senhor, não mudo...” (Malaquias 3.6).

 

 

 

 

BÍBLIA de Estudo Pentecostal – AT e NT. Referências e Algumas Variantes. Trad. João F. de Almeida. São Paulo, CPAD/SBB, 1995.

BÍBLIA Sagrada (Eletrônica, AT e NT). Europa Multimídia. Programação: Leandro Calçada, Ilustração: Wilson Roberto Jr. Colaboração: Thélos Associação Cultural.

Vide tópico 56 - Referências Bibliográficas