Total de visitas: 8652
31 - Magia Contemporânea
31 - Magia Contemporânea

31 - Magia Contemporânea

“Falaram dos rituais templários, da reencarnação, da magia sufi...” (As Valkírias – pdf–meocloud- p. 11).

A magia contemporânea encontra origens no trabalho de Eliphas Levi (1810-1875), abade e escritor francês, considerado por muitos como o maior ocultista do século XIX. Pessoa bastante inteligente, seminarista de carreira eclesiástica, chegou ao diaconato.

Alphonse Louis Constant era o nome de batismo, Eliphas Levi é o pseudônimo sob o qual publicava seus livros.

No seu livro “Dogma e Ritual da Alta Magia”, contém um desenho de um Baphomet (figura panteísta e mágica, que alude a um demônio, com cabeça de bode, com mãos e seios humanos, meio cabeludo e com asas de anjo). Esse mesmo desenho é encontrado quando pesquisamos sobre a Maçonaria.

Levi iniciou, e exaltou entusiasticamente, o renascimento da Magia como caminho espiritual, colocando-a como disciplina e desempenhou papel central. Era aluno brilhante, católico devoto, porém, com inclinação para o misticismo, nunca se tornou padre, rejeitou a ordenança e deixou o seminário.

Depois de ir de um lugar para outro, Eliphas foi parar no convento de Solesmos (um mosteiro beneditino famoso pela restauração da vida monástica), na França, onde havia uma grande biblioteca. Lá se dedicou à leitura dos Gnósticos e do Ocultismo, que o levou a duvidar de certas crenças como a existência do mal, do inferno e a infinidade de Deus. Esse período de sua vida foi marcado por grandes ‘encontros’ com magos da Idade Média.

A publicação de seu livro “Ciência dos Espíritos” trouxe-lhe enorme reputação entre os ocultistas do seu tempo. Chamado de “mestre” sua Tradição Ocultista continuou sendo difundida por seus discípulos póstumos.

Outra que trouxe contribuição à magia contemporânea foi a russa Helena Petrovna Blavatsky (1831-1891). Desde pequena mostrou possuir um caráter forte e dons psíquicos incomuns. Fundadora da Sociedade Teosófica em 1875, Helena foi buscar no Oriente a fonte de seu sistema filosófico. Este sistema pretende transmitir o conhecimento contido em toda e qualquer tradição filosófica ou religiosa, isso inclui a magia e o ocultismo.

Consta que “Madame” Helena Petrovna Blavatsky, escreveu bastante acerca dos anjos e defendeu a importância deles nas questões humanas.

A Doutrina Secreta foi uma importante obra, assim considerada pelos ocultistas, escrita por Blavatsky, contudo, ela alegava que não era a autora do livro, que este teria sido escrito pelos Mahatmas (‘grandes almas’, também conhecidos como mestres, santos, etc.), utilizando seu corpo físico. Mas ela negava que fosse por meio de processo mediúnico, também não admitia a existência de um Deus Único e Criador.

Rudolf Steiner (1861-1915), místico alemão, que foi professor da Sociedade Teosófica, também deu sua contribuição. Desde os oito anos ele podia ver com clarividência outros mundos e outras criaturas. Ele acreditava que estava se iniciando uma “nova era”, e os mistérios não deveriam mais ser mantidos nas mãos de sociedades secretas, mas ser conhecidos por qualquer um. Inclusive Paulo Coelho faz uma citação alusiva à distribuição de tal “segredo”, ou melhor; da divulgação da Magia: “Tinham feito um juramento: Tudo que estava oculto precisava ser revelado” (p. 116).

Os estudos mais recentes sobre os sistemas mágicos se fizeram tomando como objeto a magia de povos da África e da Oceania, essencialmente. Basearam-se em autores como Radcliffe-Browne, que escreveu “Os habitantes das Ilhas Andaman” (Tribo africana de pigmeus que migrou para as Ilhas Andaman, entre a Índia e Mianmar), de 1922; e no trabalho sobre o tema, “Feitiçaria, Oráculos e Magia entre os Azandes” (Os Azandes ou Zandes são um povo tribal africano que vive no Congo e no Sudão, praticantes de bruxaria), de Edward Pritchard, 1937.

Mais tarde, dentro do ocultismo e magia apareceram Aleister Crowley (1875-1947), ocultista e escritor inglês considerado por alguns o maior mago do século XX. Filho de um pastor tido como um fundamentalista protestante. Crowley exerceu todas as atividades pelas quais ficou conhecido: alpinismo, poesia, enxadrismo, sexo e magia. Foi considerado e refutado como um satanista.

Dizem que ele era uma personalidade difícil e complexa desde a adolescência e por isso ganhou o apelido de “Besta”, dado por sua mãe, a quem ele considerava uma pessoa “estúpida”. Mais tarde ele passou a dedicar-se ao estudo de a “Besta” (666).

Crowley sobreviveu de doações e venda de livros até o fim da vida. E morreu em relativa miséria, aos 72 anos, ainda viciado em heroína,

Bem como Gerald Brousseau Gardner (ou apenas “Gerald Gardner”, 1884-1964) nasceu em Lancashire, Inglaterra. Quando adolescente, mudou-se para o Ceilão e, pouco antes da Primeira Guerra Mundial, mudou-se para a Malásia, onde trabalhou como funcionário público. Durante suas viagens, ele se interessou por culturas nativas e tornou-se um folclorista amador. Em particular, ele estava interessado em práticas indígenas de magia e rituais.

Depois de várias décadas no exterior, Gardner retornou à Inglaterra na década de 1930 e se estabeleceu perto da New Forest. Foi aqui que ele descobriu o ocultismo e as crenças europeias e tornou-se o fundador da Wicca Gardneriana.

Todos esses nomes citados são tidos em alta relevância pelos ocultistas, e suas doutrinas, de ordem espiritual, são mencionadas com destaque e credibilidade.

Sem a preocupação em classificá-los, por ordem, dentre os múltiplos sistemas de magia encontramos:

. Magia Sufi (citada por Paulo Coelho)

. Magia Sexual (Idem)

. Magia Luciférica (representada por Lúcifer)

. Alta magia egípcia branca e negra, etc.

Magia Sufi

Magia Sufi não é exatamente contemporânea, mas a mesma está sendo ressuscitada nesses tempos modernos. Sufi é o membro de uma escola panteísta (do panteísmo, doutrina filosófica que identifica Deus com os elementos da natureza) entre os muçulmanos. A origem do termo Sufi é incerta. Os membros da Irmandade Sufi foram ou são conhecidos por ‘Amigos da Verdade’, os ‘Construtores’, os ‘Mestres’, como os maçons; ‘Povo do Caminho’, como os povos pré-cristãos chamados Essênios. Em suma: são os membros de uma seita, de cunho filosófico, que identifica a divindade com o universo.

Muito antes de a religião muçulmana ser inventada pelas elites árabes, em meados do primeiro milênio, a Irmandade Sufi já existia em Medina, afirmam seus estudiosos.

Magia Sexual

É o termo ocultista para designar práticas sexuais usadas com propósitos mágicos, místicos ou espirituais.

A premissa fundamental da magia sexual é o conceito de que a energia sexual, ou a libido humana, é a força mais poderosa que se pode manipular e que algumas práticas, no ocultismo, podem acumular direcionar ou modificar essa energia, de modo a atingir objetivos pré-determinados.

Existem duas escolas principais de Magia Sexual chamadas de o “caminho da mão esquerda” e o “caminho da mão direita”.

O chamado caminho da mão esquerda defende que o orgasmo deve ser adiado, que sua energia seja tanta, segundo a visão dos praticantes, a ponto de alterar a realidade ou levá-los a estados alternativos de consciência.

O caminho da mão direita defende que o orgasmo é a antítese da sublimação sexual. Nesse contexto o orgasmo não apenas é adiado, mas superado em prol do que seus praticantes consideram “energias superiores”. O caminho da mão direita não admite práticas como masturbação e homossexualidade.

Lembrando que era costume no paganismo a prostituição sexual, a orgia sexual, em oferenda aos ídolos, inclusive à deusa Aserá.

 

 

 

As Valkírias – pdf-https://meocloud.pt/link - https://cld.pt/dl/download/

http://www.wikipedia.org/wiki/Eliphas-Levi

http://www.culturabrasil.pro.br/eliphas-levi.htm

https://pt.wikipedia.org/wiki/Helena_Blavatsky

brazil.skepdic.com/rudsteiner.html

https://pt.wikipedia.org/wiki/Rudolf_Steiner

https://pt.wikipedia.org/wiki/Magia_sexual

https://www.learnreligions.com/what-is-gardnerian-wicca-2562910

https://brasilescola.uol.com.br/biografia/aleister-crowley.htm

Vide tópico 56 - Referências Bibliográficas