Total de visitas: 8537
23 - Ações e reações de Deus
23 - Ações e reações de Deus

23 - Ações e reações de Deus

“...Deus é amor, generosidade e perdão; se acreditamos nisto, nunca vamos deixar que nossas fraquezas nos paralisem”(As Valkírias – pdf – meocloud -p. 2).

Considero que devo abrir um parêntese, também, sobre algumas ações e reações de Deus. Mostremos que essa imagem de um Deus que passa a mão na cabeça dos filhos rebeldes não é verdadeira.

- Deus alegra-se com cada um de nós quando somos obedientes

“... o Senhor tornará a alegrar-se em ti para te fazer bem, como se alegrou em teus pais; quando obedeceres à voz do Senhor teu Deus, guardando os seus mandamentos e os seus estatutos, escritos neste livro da lei; quando te converteres ao Senhor teu Deus de todo o teu coração e de toda a tua alma” (Deuteronômio 9,10).

“... o Senhor tornará a alegrar-se em ti para te fazer bem... quando obedeceres à voz do Senhor teu Deus, guardando os seus mandamentos e os seus estatutos, escritos neste livro da lei; quando te converteres ao Senhor teu Deus de todo o teu coração e de toda a tua alma. Porque este mandamento, que eu hoje te ordeno, não te é difícil demais...” (Neemias 8.9-11).

“... como o noivo se alegra da noiva, assim se alegrará de ti o teu Deus” (Isaías 62.5).

- Deus sente alegria quando não enfraquecemos ante os reveses da vida, quando ficamos erguidos ante a tribulação

“Portanto não vos entristeçais, pois a alegria do Senhor é a vossa força” (Neemias 8.10).

- Deus sente tristeza

“E não entristeçais o Espírito Santo de Deus, no qual fostes selados para o dia da redenção” (Efésios 4.30).

“Eles (o povo judeu), porém, se rebelaram, e contristaram (entristeceram) o seu Santo Espírito; pelo que se lhes tornou em inimigo, e Ele mesmo pelejou contra eles” (Isaías 63.10).

- Deus se ira

“Assim diz toda a congregação do Senhor: Que transgressão é esta que cometestes contra o Deus de Israel, deixando hoje de seguir ao Senhor... Será que, rebelando-vos hoje contra o Senhor, amanhã Ele se irará contra toda a congregação de Israel” (Josué 22.16-18).

Portanto, tão certo como eu vivo, diz o Senhor Deus, pois que profanaste o meu santuário com todas as tuas coisas detestáveis, e com todas as tuas abominações, também eu te diminuirei; e não te perdoarei, nem terei piedade de ti.

Assim se cumprirá a minha ira...” (Ezequiel 5.7,8,9,11,13).

“Guardai-vos para que o vosso coração não se engane, e vos desvieis, e sirvais a outros deuses, e os adoreis; e a ira do Senhor se acenda contra vós...”. (Deuteronômio 11.16,17).

- Pessoas provocam a ira de Deus

“... por causa de todos os pecados de Baasa, e dos pecados de Elá, seu filho, com que pecaram, e com que fizeram Israel pecar, provocando à ira, com as suas vaidades, do Senhor Deus de Israel” (I Reis 16.13).

Porém, Deus não sai por aí se irando à toa. Antes de ele irar-se com o ser humano, Ele insiste bastante com o mesmo, fala-lhe à consciência, concede-lhe várias chances por meio de pessoas e ocasiões. Isso dá mais oportunidade dele tardar essa ira. Em oito capítulos da Bíblia encontramos a expressão “tardio em irar-se” referente a uma das reações de Deus:

“Compassivo e misericordioso é o Senhor; tardio em irar-se e grande em benignidade” (Salmo 103.8).

“E rasgai o vosso coração, e não as vossas vestes; e convertei-vos ao Senhor vosso Deus; porque ele é misericordioso e compassivo, tardio em irar-se e grande em benignidade, e se arrepende do mal” (Joel 2.11-13).

- Deus e Cristo têm o controle de tudo, até do mal e nele manda

“Assim, Deus fez tornar sobre Abimeleque o mal que tinha feito a seu pai, matando os seus setenta irmãos” (Juízes 9.56).

“Fizeste-o (a Cristo) um pouco menor que os anjos, de glória e de honra o coroaste, todas as coisas lhe sujeitaste debaixo dos pés. Ora, visto que lhe sujeitou todas as coisas, nada deixou que não lhe fosse sujeito...” (Hebreus 2.7,8).

- Deus se vinga

“... portanto assim diz o Senhor Deus... ...exercerei a minha vingança sobre Edom... ...segundo a minha ira e segundo o meu furor; e conhecerão a minha vingança, diz o Senhor Deus” (Ezequiel 25.13,14).

“... o Senhor toma vingança contra seus adversários e guarda a ira contra os seus inimigos...” (Naum 1.2,3).

“Porque se voluntariamente continuarmos no pecado, depois de termos recebido o pleno conhecimento da verdade, já não resta mais sacrifício pelos pecados, mas uma expectação terrível de juízo, e um ardor de fogo que há de devorar os adversários.

Pois conhecemos aquele que disse: Minha é a vingança, Eu retribuirei... Horrenda coisa é cair nas mãos do Deus vivo” (Hebreus 10.26-31).

- Deus despreza

“Portanto, diz o Senhor Deus de Israel: Na verdade eu tinha dito que a tua casa e a casa de teu pai andariam diante de mim perpetuamente. Mas agora o Senhor diz: Longe de mim tal coisa, porque honrarei aos que me honram, mas os que me desprezam serão desprezados” (I Samuel 2.30).

- Em alguns casos Ele não responde a oração

"Mas, porque clamei (falei), e vós recusastes; porque estendi a minha mão, e não houve quem desse atenção; antes desprezastes todo o meu conselho, e não fizestes caso da minha repreensão; também eu me rirei no dia da vossa calamidade; zombarei, quando sobrevier o vosso terror, quando o terror vos sobrevier como tempestade... e quando vos sobrevierem aperto e angústia.

Então a mim clamarão, mas eu não responderei; diligentemente me buscarão, mas não me acharão. Porquanto aborreceram o conhecimento, e não preferiram o temor do Senhor; não quiseram o meu conselho e desprezaram toda a minha repreensão; portanto comerão do fruto do seu caminho e se fartarão dos seus próprios conselhos" (Provérbios 1.24-31).

- Deus se indigna

“Ouvindo, pois, o Senhor a voz das vossas palavras, indignou-se e jurou, dizendo: Nenhum dos homens desta geração perversa verá a boa terra (Prometida, símbolo de salvação) que prometi com juramento dar a vossos pais...” (Deuteronômio 1.34,35).

“Mas o Senhor indignou-se muito contra mim (Moisés) por causa de vós, e não me ouviu; antes me disse: Basta; não me fales mais nisto” (no negócio que Moisés tratava com Deus - Deuteronômio 3.26).

- Deus, em seu poder, chega a ser terrível (formidável, extraordinário, enorme! Quem o pode suportá-lo, burlá-lo?)

“Não te espantes diante deles, porque o Senhor teu Deus está no meio de ti, Deus grande e terrível” (Deuteronômio 7.21).

“Pois o Senhor vosso Deus, é o Deus dos deuses, e o Senhor dos senhores, o Deus grande, poderoso e terrível...” (Deuteronômio 10.17).

- Deus “condena” aquele que por si mesmo condenou-se

“Ao homem faccioso (de constante contenda), depois da primeira e segunda admoestação, evita-o, sabendo que esse tal está pervertido, e vive pecando, e já por si mesmo está condenado” (Tito 3.10,11).

“O homem de bem alcançará o favor do Senhor; mas ao homem de perversos desígnios Ele (Deus) condena” (Provérbio 12.2).

“A condenação está preparada para os escarnecedores...” (Provérbio 19.29).

- Ante a rebeldia do homem Deus não terá piedade nem o livrará

“Certamente não terei mais piedade dos moradores desta terra, diz o Senhor; mas, eis que entregarei os homens cada um na mão do seu próximo (do homem mau)... e Eu não os livrarei da mão deles” (Zacarias 11.6).

“...castigar-te-ei com justiça, e de modo algum te deixarei impune” (Jeremias 46.28).

- O apóstolo Pedro adverte, também, sobre a condenação

“E muitos seguirão as suas dissoluções (suas próprias atitudes), e por causa deles (dos falsos doutrinadores) será blasfemado o caminho da verdade; também, movidos pela ganância, e com palavras fingidas, eles farão de vós negócio; a condenação dos quais já de largo tempo não tarda e a sua destruição não dormita (não cochila, não demora)” (II Pedro 2.2,3).

- Deus castiga, inclusive, os justos

“Eis que o justo é castigado na terra; quanto mais o ímpio e o pecador!” (Provérbios 11.31).

“Porque eu sou contigo, diz o Senhor, para te salvar (é o principal objetivo)... a ti, porém, não darei fim, mas castigar-te-ei com medida justa...” (Jeremias 30.11).

“Para te salvar”. Aqui fica clara a finalidade do castigo: dar uma segunda chance. Se Deus não nos corrigir, e às vezes por meio do castigo, alguns com suas mentes rebeldes continuarão no erro e não serão salvos. Como Deus é amoroso, procura trazer para perto de si àquele que o rejeita. É muito amor!

“... Filho meu, não desprezes a correção do Senhor, nem te desanimes quando por ele és repreendido; pois o Senhor corrige ao que ama, e açoita a todo o que recebe por filho” (Hebreus 12.6).

“... quando, porém, somos julgados pelo Senhor, somos corrigidos, para não sermos condenados com o mundo” (I Coríntios 11.32).

Há controvérsia, por parte de alguns, quanto ao fato de Deus nos castigar. Como pode Deus sendo um Ser tão bom cogitar castigo, ou seja, uma atitude considerada ruim para conosco? A Bíblia nos ensina que parte das coisas que acontecem aqui na vida terrena, é apenas uma “sombra” das coisas celestiais: “... os quais servem (de padrão) àquilo que é figura e sombra das coisas celestiais...” (Hebreus 8.5). Isso posto, temos que considerar as situações pelas quais passamos no cotidiano, exemplo: você é pai, seu filho erra, você o alerta (Deus faz assim conosco por meio de nossa consciência, de um ensino salutar, etc.), caso seu filho resolva permanecer no erro, após várias advertências, qual será sua postura? Evidentemente será a de castigá-lo. Por mais que lhe doa, você está visando o bem dele. Da mesma forma acontece com Deus. Observe esse versículo: “Embora entristeça a alguém, contudo terá compaixão segundo a grandeza da sua misericórdia. Porque (Deus) não aflige nem entristece de bom grado os filhos dos homens”. (Lamentação de Jeremias 3.32,33). Dói até em Deus essa punição, mas Ele sabe que é preciso. Estamos falando de punição transitória e não definitiva (inferno).

- Contudo, Deus, como misericordioso que é, limita o castigo

“E depois de tudo o que nos tem sucedido por causa das nossas más obras, e da nossa grande culpa, ainda assim tu, ó nosso Deus, nos tens castigado menos do que merecem as nossas iniquidades... tornaremos, pois, agora a violar os teus mandamentos, e a aparentar-nos com os povos que cometem estas abominações? Não estarias tu indignado contra nós até de todo nos consumires...? Ó Senhor Deus de Israel, justo és... Eis que estamos diante de ti em nossa culpa...” (Estes se humilharam - Esdras 9.13-15).

Compassivo e misericordioso é o Senhor... Não repreenderá perpetuamente, nem para sempre conservará a sua ira. Não nos trata segundo os nossos pecados, nem nos retribui segundo as nossas iniquidades... ...grande a sua benignidade para com os que o temem.

Como um pai se compadece de seus filhos, assim o Senhor se compadece daqueles que o temem. Pois ele conhece a nossa estrutura; lembra-se de que somos pó” (Salmo 103.8-14).

- Mas também poderá castigar “sete vezes mais”, dependendo da rebeldia

“Não fareis para vós ídolos... para vos inclinardes a eles; porque eu sou o Senhor vosso Deus. Mas, se não me ouvirdes, e não cumprirdes todos estes mandamentos... porei sobre vós o terror... Porei o meu rosto contra vós, e sereis ferido... ...Se nem ainda com isto me ouvirdes, prosseguirei em castigar-vos sete vezes mais, por causa dos vossos pecados.

Ora, se andardes contrariamente para comigo, e não me quiseres ouvir, trarei sobre vos pragas sete vezes mais, conforme os vossos pecados.  (Levítico 26.1,14,15-21).

Deus desce e pessoalmente castiga? Não exatamente. Pode acontecer de a pessoa ser rebelde, descrente, não ter temor algum de Deus, muito menos fé, essa pessoa fica descoberta, desprotegida da proteção divina. Na hora de um perigo não tem como livrar-se, e aí, é padecer o sofrimento ou dá-se, simplesmente, a consequência de seus atos maléficos.

Outras vezes a pessoa não dá ouvidos aos conselhos para consertar o modo de viver, isso o fará cair em suas próprias ciladas.

Outro dia, visitando alguém em um hospital, pude conhecer a história de um jovem de dezessete anos. Ele começou a andar com drogados, viciou-se e passou também a vender a droga, embora tivesse um emprego fixo. A mãe dele chorou, desesperou-se, implorou por tudo para que ele se afastasse das más amizades e do vício. Ele não lhe deu ouvidos. Saiu de casa e foi morar só, mesmo sendo menor de idade.

Certo dia estava em casa dormindo, junto com seu amigo de quarto, ambos haviam recebido o salário, quando foram assaltados pelos “amigos” de vício, que lhes deram fortes pauladas, a ponto desse jovem sofrer traumatismo craniano.

Hoje ele vive consciente, acamado, usando fraldas, e tem seu corpo encolhido, meio ressequido.

- Deus se retira se afasta, dada a rebeldia do homem, e este perde sua proteção

“Assim se acendeu a ira do Senhor contra eles; e ele se retirou; também a nuvem se retirou de sobre a tenda...” (da congregação do povo israelita - Números 12.9,10).

“... levareis sobre vós as vossas iniquidades por quarenta anos, um ano por um dia, e conhecereis o meu afastamento (Números 14.34).

“Mas Deus se afastou, e os abandonou...” (Atos 7.42).

- Deus lança o rebelde, o perdido, no inferno. O apóstolo Pedro reconhece isso

“Porque se Deus não poupou a anjos quando pecaram, mas lançou-os no inferno, e os entregou aos abismos da escuridão, reservando-os para o juízo...” (Quanto mais aos humanos, também, maus. Subtende-se a afirmação do apóstolo Pedro - II Pedro 2.4).

“E não temais os que matam o corpo, e não podem matar a alma; temei antes aquele(Deus/Jesus) que pode fazer perecer no inferno tanto a alma como o corpo” (Mateus 10.28).

- Deus fere

“Disse então o Senhor a Moisés: Até quando me desprezará este povo e até quando não crerá em mim, apesar de todos os sinais que tenho feito no meio dele? Com pestilência o ferirei, e o rejeitarei...” (Números 14.11,12).

- Deus aborrece certas pessoas

“... Acaso não era Esaú irmão de Jacó? diz o Senhor; todavia amei a Jacó, e aborreci a Esaú...” (Malaquias 1.2,3).

- Deus se irrita

“Mas, se o Senhor criar alguma coisa nova, e a terra abrir a boca e os tragar com tudo o que é deles, e vivos descerem aos sepulcros, então compreendereis que estes homens irritaram ao Senhor” (Números 16.30).

- Deus se cansa dos pecados do pecador

“... me deste trabalho com os teus pecados e me cansaste com as tuas maldades” (Is 43.24).

Como veem tudo isso é muito sério, e nos leva a concluir que, mesmo muitos se dizendo “religiosos” não têm convicção bíblica.

Contrária a toda essa justiça divina, conquanto muitos a tem por “a fúria de Deus”, a Bíblia nos fala do grande amor dEle, do quanto ele concede oportunidade ao Homem, do quanto o espera, do quanto insiste e não desiste de sua criatura. O Salmo 78 nos mostra uma longa confissão da ingratidão de parte do povo israelita, no passado, dos seus terríveis pecados; para os israelitas ortodoxos essa ingratidão persiste ainda hoje, pois não aceitaram a Jesus como o Messias das profecias. Mas quando eles se arrependiam Deus suspendia o castigo, perdoando-os.

Os filhos de Efraim... Não guardaram o pacto de Deus, e recusaram andar na sua lei... Contudo ele ordenou às nuvens lá em cima, e abriu as portas dos céus... Cada um comeu o pão dos poderosos; ele lhes mandou comida em abundância. Fez soprar nos céus o vento do oriente, e pelo seu poder trouxe o vento sul. Com tudo isso ainda pecaram, e não creram nas suas maravilhas. Pelo que consumiu os seus dias como um sopro, e os seus anos em repentino terror.

Quando ele os fazia morrer, então o procuravam; arrependiam-se, e de madrugada buscavam a Deus. Lembravam-se de que Deus era a sua rocha, e o Deus Altíssimo o seu Redentor. Todavia lisonjeavam-no com a boca, e com a língua lhe mentiam. Pois o coração deles não era constante para com ele, nem foram eles fiéis ao seu pacto.

”Mas ele, sendo compassivo, perdoou a sua iniquidade, e não os destruiu; antes muitas vezes desviou deles a sua cólera, e não acendeu todo o seu furor” (Salmo 78.9-38).

Contudo, observemos:

- Deus é misericordioso

E ao amanhecer os anjos apertavam com Ló, dizendo: levanta-te, toma tua mulher e tuas duas filhas que aqui estão, para que não pereças no castigo da cidade. Ele, porém, se demorava; pelo que os homens pegaram-lhe pela mão a ele, à sua mulher, e às suas filhas, sendo-lhe misericordioso o Senhor. Assim o tiraram e o puseram fora da cidade” (Gênesis 1915,16).

“...Tu, porém, és um Deus pronto para perdoar, clemente e misericordioso, tardio em irar-te e grande em beneficência, e não os abandonaste. Ainda mesmo quando eles fizeram para si um bezerro de fundição, e disseram:  Este é o teu Deus, que te tirou do Egito, e cometeram grandes blasfêmias, todavia tu, pela multidão das tuas misericórdias, não os abandonaste no deserto” (Neemias 9.17-19).

- Nunca negou seu amor

“Bendito seja o Senhor teu Deus, que se agradou de ti... Porquanto o Senhor amou Israel para sempre...” (I Reis 10.9).

“Eu vos tenho amado, diz o Senhor. Mas vós dizeis: Em que nos tens amado?” (Malaquias 1.2).

- Amou um Mundo que o ignorou e que o ignora

“... por se haverem rebelado contra as palavras de Deus, e desprezado o conselho do Altíssimo, eis que lhes abateu o coração com trabalho; tropeçaram, e não houve quem os ajudasse. Então clamaram ao Senhor na sua tribulação, e ele os livrou das suas angústias. Tirou-os das trevas e da sombra da morte, e quebrou-lhes as prisões” (Salmo 107.11-14).

“Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna.

Porque Deus enviou o seu Filho ao mundo, não para que julgasse o mundo, mas para que o mundo fosse salvo por ele" (João 3.16,17).

Como o mundano não busca essa salvação será julgado, sim, e esse Julgamento redundará em perdição.

- Jesus intercede junto ao Pai

“Jesus, porém, dizia: Pai, perdoa-lhes; porque não sabem o que fazem” (Lucas 23.34).

“Não sabem o que fazem”. Eles cuspiram na face de Jesus, esbofetearam, chicotearam-no, deram-lhe vinagre em lugar de água... Mas Jesus falou assim referindo-se às suas mentes cegas, inconscientes. Esse sim é “amor em movimento”.

“Jerusalém, Jerusalém, que matas os profetas, apedrejas os que a ti são enviados! quantas vezes quis eu ajuntar os teus filhos, como a galinha ajunta os seus pintos e não quisestes” (Mateus 23.37).                         

“Tendo Jesus assim falado, ia caminhando adiante deles, subindo para Jerusalém. E quando chegou perto e viu a cidade, chorou sobre ela...” (Lucas 19.28,41).

Antes de tomar uma atitude severa, contra o povo israelita, Deus esperou que houvesse mudança. Dá-se da mesma forma conosco.

“... não há neles nenhuma mudança, e tampouco temem a Deus” (Salmo 55.19).

“O Senhor olhou do céu para os filhos dos homens, para ver se havia algum que tivesse entendimento, que buscasse a Deus” (Salmo 14.2).

Deus está pronto a perdoar aquele que se humilha perante ele. O amor de Deus é tanto que quando Deus perdoa, esquece qualquer pecado cometido pelo homem.

“E o Senhor apareceu de noite a Salomão e lhe disse: Eu ouvi a tua oração... Se eu cerrar o céu de modo que não haja chuva, ou se ordenar aos gafanhotos que consumam a terra, ou se enviar a peste entre o meu povo; e se o meu povo, que se chama pelo meu nome, se humilhar, e orar, e buscar a minha face, e se desviar dos seus maus caminhos, então eu ouvirei do céu, e perdoarei os seus pecados, e sararei a sua terra” (II Crônicas 7.12-14).

“Então disse Davi a Natã: Pequei contra o Senhor. Tornou Natã a Davi: Também o Senhor perdoou o teu pecado; não morrerás” (II Samuel 12.13).

 “... tu foste para eles um Deus perdoador...” (Salmo 99.8).

“... todos me conhecerão, desde o menor deles até o maior, diz o Senhor; pois lhes perdoarei a sua iniquidade, e não me lembrarei mais dos seus pecados” (Jeremias 31.34).

“... diz o Senhor: Porei as minhas leis em seus corações, e as escreverei em seu entendimento... E não me lembrarei mais de seus pecados e de suas iniquidades”. (Hebreus 10.16,17).

- Deus muda de ideia, quanto ao castigo ou decisão da parte dEle

“Por aquele tempo Ezequias ficou doente, à morte. O profeta Isaías, filho de Amoz, veio ter com ele, e lhe disse: Assim diz o Senhor: Põe em ordem a tua casa porque morrerás, e não viverás.

Então o rei virou o rosto para a parede, e orou ao Senhor, dizendo: Lembra-te agora, ó Senhor, te peço, de como tenho andado diante de ti com fidelidade e integridade de coração, e tenho feito o que era reto aos teus olhos. E Ezequias chorou muitíssimo.

E sucedeu que, não havendo Isaías ainda saído do meio do pátio, veio a ele a palavra do Senhor, dizendo: Volta, e dize a Ezequias, príncipe do meu povo: Assim diz o Senhor Deus de teu pai Davi: Ouvi a tua oração, e vi as tuas lágrimas. Eis que eu te sararei; ao terceiro dia subirás à casa do Senhor. Acrescentarei aos teus dias quinze anos; e das mãos do rei da Assíria te livrarei, a ti e a esta cidade; e defenderei esta cidade por amor de mim, e por amor do meu servo Davi. Disse mais Isaías: Tomai uma pasta de figos e ponde-a sobre a úlcera; e ele sarará" (II Reis 20.1-7).

“Mas também os filhos se rebelaram contra mim; não andaram nos meus estatutos nem guardaram as minhas ordenanças para as praticarem, pelas quais o homem viverá, se as cumprir... por isso eu disse que derramaria sobre eles o meu furor, para cumprir contra eles a minha ira no deserto. Todavia retive a minha mão, e procedi por amor do meu nome, para que não fosse profanado à vista das nações, a cujos olhos os fiz sair” (Ezequiel 20.21,22).

 

 

 

As Valkírias – pdf-https://meocloud.pt/link - https://cld.pt/dl/download/

BÍBLIA de Estudo Pentecostal – AT e NT. Referências e Algumas Variantes. Trad. João F. de Almeida. São Paulo, CPAD/SBB, 1995 (ISBN 85-263-0048-2-BEP).

BÍBLIA Sagrada (Eletrônica, AT e NT). Europa Multimídia. Programação: Leandro Calçada, Ilustração: Wilson Roberto Jr. Colaboração: Thélos Associação Cultural.

Vide tópico 56 - Referências Bibliográficas