Total de visitas: 18128
36 - A Quarta Dimensão
36 - A Quarta Dimensão

36 - A Quarta Dimensão

“Existe mais coisa entre os céus e a terra do que supõe a vossa vã filosofia”. Já proclamava esse pensamento atribuído a Shakespeare.

O pastor, Dr. Paul Yonggi Cho, líder da maior igreja evangélica da Coréia do Sul (Seul), viu-se sem resposta para alguns coreanos, os quais ele pregava a Palavra.

 Muitos não viam diferença no povo evangélico, que pregava o poder milagroso de Deus, uma vez que os budistas e os praticantes de ioga tinham poder para curar, comprovadamente, pessoas com câncer.

O pastor dedicou dias à oração e ao jejum, buscou em Deus uma resposta convincente para o povo. Então lhe veio à mente uma interpretação que, como ele diz, lhe fora dada pelo Espírito Santo.

Em seu livro “A Quarta Dimensão” (1992), ele explica:

“Há, no universo, três tipos de espírito: O Espírito Santo de Deus, o espírito do Diabo e o espírito humano. Quando se estuda geometria, a gente desenha dois pontos, um aqui e outro ali; traçando-se uma linha reta entre esses dois pontos, a ela damos o nome de primeira dimensão. É justamente isso, uma linha de dois pontos, uma dimensão.

Mas se prosseguirmos acrescentando linhas após linhas, uma ao lado da outra, numa progressão indefinida, temos a segunda dimensão. Temos um plano e uma superfície. E se amontoarmos planos sobre planos numa sucessão indefinida de planos, teremos o que se chama de terceira dimensão...  (p. 40, 41).

A primeira dimensão está contida na segunda, sucessivamente uma dimensão vai controlando a outra. Explicação bem complexa, mas enfim ele chega à quarta dimensão, que paira e incuba a terceira.

O homem, com seu poder limitado (determinação, pensamento positivo, etc.), pertence à terceira dimensão, ao obter uma visão clara, ao formar quadros mentais, explora e desenvolve a quarta dimensão, onde pode ser encontrado tanto o poder de Deus, como o poder das trevas”.

O poder das trevas, para alguns, se manifesta sutil, de forma que não seja reconhecido como tal, como poder maligno.

“Dois cientistas norte-americanos, informa o site inovação tecnológica, publicaram uma pesquisa que demonstra como detectar a quarta dimensão do espaço, e somando-se o tempo, passaríamos então a “ver” nosso Universo em cinco dimensões” (Quatro Dimensões, mais o Tempo).

O professor e pesquisador do Instituto de Física da Universidade de São Paulo, Álvaro Vanucci, que, de maneira humilde, fez o favor de responder ao meu e-mail, disse o seguinte: “A teoria de Einstein, na verdade, supõem as quatro dimensões, sendo três espaciais (x,y,z) e uma temporal (o tempo). A Teoria de Cordas (ainda é apenas uma teoria) pressupõe onze dimensões espaciais, com propriedades muito específicas. É ainda muito prematuro afirmar que os fenômenos espirituais baseiam-se na existência de um Universo com múltiplas dimensões. Muita pesquisa ainda precisa ser realizada para mostrar se isto é verdade”, conclui com certo cuidado. A seguir o professor indica o livro de Pietro Ubaldi, que pode ser baixado da Internet, “A Grande Síntese”.

A Teoria de Cordas "é uma teoria da física quântica e relativística que tem como objetivo a unificação das forças da natureza".

O astrônomo britânico, e matemático, Bernard Carr, professor na Universidade Queen Mary em Londres, diz que a nossa consciência interage com outras dimensões. Segundo ele, estamos na dimensão de mais baixo nível. Ele teoriza que muitos dos fenômenos que experimentamos, e que não podem ser explicados pelas leis da física, ocorrem em outras dimensões.

“As únicas entidades não físicas no Universo com as quais temos alguma experiência são as mentais, e a existência de fenômenos paranormais sugere que as entidades mentais têm de existir em algum tipo de espaço. O modelo resolve problemas filosóficos em relação ao conceito de matéria e espírito, elucida a natureza do tempo, e fornece uma estrutura ontológica para a interpretação de fenômenos como aparições, experiências extracorpóreas, experiências de quase morte, e os sonhos”, escreveu Carr no resumo de uma conferência.

Carr argumenta que nossos sensores físicos só nos mostram um Universo de três dimensões, apesar de existirem de fato pelo menos quatro dimensões. O que existe nas dimensões mais altas são entidades que não podemos tocar com nossos sensores físicos. Segundo ele, essas entidades devem existir em outro tipo de espaço.

Por que eu fiz questão de colocar todas estas possíveis descobertas das dimensões, pela Física, ainda meio que em fase inicial e complexas, pelo menos para a minha “leiguice”? Para que a atuante dimensão espiritual satânica possa ser vista com certa credibilidade, para que possa ser considerada, e que isso não é, tão somente, “coisa de crente evangélico". Para que saibam que Deus tem permitido a ciência vislumbrar algumas “brechinhas”, por Ele consentidas.

Penso que, daqui para os fins dos tempos, muita coisa poderá ser atestada pela ciência, pois Deus se utilizará desse canal tão aceito pelos materialistas, por conta de sua infinita misericórdia, como nos diz a Palavra de Deus: “Ele não quer que ninguém se perca” (II Pedro 3.9).

Uma coisa se sabe em meio a toda essa complexidade científica: as dimensões existem, é só questão de tempo para que sejam, todas elas, comprovadas.

Mas há quem diga que só existem duas formas de poder: a de Deus e a do diabo. Por que, então, essa história de dimensões? Porque existe uma hierarquia em ambos os poderes. Cada hierarquia com suas funções. O poder das trevas é distribuído, supostamente, de acordo com as dimensões. A Bíblia o chamou de “potestades do ar” e ainda afirmou que essas potestades têm um príncipe do mal, bem como ainda o identificou como “hostes espirituais da iniquidade nas regiões celestes”:

“...outrora andastes, segundo o curso deste mundo, segundo o príncipe das potestades (poder, potência, força) do ar...” (Efésios 2.2).

“...pois não é contra carne e sangue que temos que lutar, mas sim contra os principados, contra as potestades, conta os príncipes do mundo destas trevas, contra as hostes espirituais da iniquidade nas regiões (dimensões) celestes” (Efésios 6.12).

Portanto, em alguns casos de “milagres”, de “aparições”, de anjos mantendo contato, Deus não tem nada a ver com isso. Não foi operação dEle. Em sua bondade Ele faz o milagre, independente de religião. Porém, Ele não vai fazer um milagre ciente de que um “deus inanimado” receberá a glória, levará a fama, pois está escrito: “A minha glória não a darei a outrem” (Isaías 48.11). Inclusive, tem acontecido de o “milagre” não sendo feito por Ele, não durar muito tempo.

“O meu povo consulta ao seu pau (estatueta esculpida na madeira), e a sua vara lhe dá respostas, porque o espírito de luxúria os enganou, e eles, prostituindo-se, abandonam o seu Deus” (Oseias 4.12).

Veja: “A sua vara lhe dá resposta”. Sendo o ídolo um ser inanimado, como é possível que lhe dê resposta, se de Deus não vem essa resposta?! É porque essa resposta vem de outra dimensão, a maligna, que quer que o tal fique escravizado nessa prática condenatória. Inclusive o versículo ressalta: “O espírito de luxúria os enganou”. Caso o tal morra sem arrepender-se, sem compreender o que a Bíblia ensina, não terá salvação, pois está sendo enganado por um espírito.

O pastor Luis Roldan, bacharel em teologia, do Blog Hora de Semear, coloca, também, de maneira esclarecedora, sobre as dimensões, iniciando com o seguinte versículo:

“... na verdade, habitaria Deus na terra? Eis que os céus, e até o céu dos céus, não te poderiam conter...” (I Reis 8.27).

“Vemos no texto acima - afirma o pastor Roldan -, sendo citados três Céus, sendo que nenhum deles pode conter a presença e a glória de Deus, devido sua onipotência, onipresença e onisciência.

O primeiro céu é o céu que vemos quando olhamos para o alto, ele representa a Primeira Dimensão (espaço entre ele e o homem). Nessa dimensão consta o espírito do homem. Essa dimensão é a que trata do mundo físico, da vontade do homem, de sua vida terrena, de escolhas e posicionamentos. Essa dimensão é influenciada pela Segunda (do Diabo) e pela Terceira (de Deus). Nossa dimensão pode influenciar a Segunda e a Terceira, com nossas orações e adoração, pois, quando oramos e adoramos ao Senhor, o inferno recua e o exército de anjos de Deus vence, as forças militantes do inferno enfraquecem, apesar de Deus sempre vencer, quando oramos e o adoramos.

O segundo céu, que representa a Segunda Dimensão, é aquele que seria demonstrado de forma física pelo espaço sideral, ali está a dimensão (nos ares) do Espírito do Diabo, pois lá atuam os principados e potestades celestiais, ou seja, os demônios”. 

Constatemos nesse versículo a influência da dimensão humana sobre a dimensão divina:

E se o meu povo, que se chama pelo meu nome, se humilhar, e orar, e buscar a minha face e se converter dos seus maus caminhos, então eu ouvirei dos céus, e perdoarei os seus pecados, e sararei a sua terra” (II Crônicas 7.14). Garante Deus.

Jesus agindo contra o príncipe das potestades:

“Então ordenou-lhe Jesus: Vai-te, Satanás; porque está escrito: Ao Senhor teu Deus adorarás, e só a ele servirás. Então o Diabo o deixou; e eis que vieram os anjos e o serviram” (Mateus 4.10,11).

“O Diabo, com seus anjos caídos (demônios), influenciam a primeira dimensão (do homem), mas não pode influenciar a Terceira Dimensão (de Deus), porém é influenciada pela Primeira Dimensão (ações do homem) e Terceira (Deus no controle de tudo)”. Reafirma o pastor Roldan.

“... seremos arrebatados juntamente com eles (os ressuscitados), nas nuvens, ao encontro do Senhor nos ares, e assim estaremos para sempre com o Senhor”. (I Tessalonicenses 4.17).

Segundo alguns estudiosos esse encontro “dos arrebatados” com Cristo, “nos ares”, é exatamente uma demonstração de vitória exibida por parte de Cristo. Os demônios hão de reconhecer suas derrotas, bem como a soberania de Deus.

“Agora falaremos da Quarta Dimensão. A Quarta Dimensão, não existe por si só, ela é formada quando há a junção do homem com Deus (Dimensão Divina) e do homem com o Diabo (Dimensão Maligna)”.

“O espírito do homem se junta ao Espírito de Deus: “Assim, pois, as igrejas em toda a Judeia, e Galileia e Samaria tinham paz, e eram edificadas; e se multiplicavam, andando no temor do Senhor e consolação do Espírito Santo” (Atos 9.31).

“Quando o espírito do homem se junta com o Espírito de Deus, coisas maravilhosas acontecem. O pecador se arrepende, o adúltero para de fazer tal coisa, a prostituta vive uma vida digna, o alcoólatra  para de beber, o assassino vira pregador da Palavra de Deus (foi assim com o apóstolo Paulo). Quando o espírito do homem se junta ao Espírito de Deus, essa pessoa recebe uma paz enorme, e ele tem prazer em servir a Deus, em andar com Ele e obedecer-lhe. Já não sente aquele vazio que sentia em sua vida, quando tentava encontrar o preenchimento nas “baladas” e festas regadas a bebidas e luxúria. Assim, o homem fica mais próximo de Deus, sua fé aumenta grandemente, começa a ter um grande desejo de ler e aprender mais sobre a Bíblia, e tudo isso lhe traz transformação de vida e de hábitos, e forte esperança e confiança em Deus”. 

“Quando o homem aceita Jesus como Senhor e Salvador de sua vida, o seu espírito se junta com o Espírito de Deus, o homem recebe a salvação que é a melhor coisa na vida de alguém, ele recebe o Espírito Santo dentro dele e terá Deus Pai como seu abençoador e Jesus como seu mediador”.

“Olhai para mim, e sereis salvos, vós, todos os confins da terra; porque eu sou Deus, e não há outro” (Isaías 45.22).

“A Dimensão do Diabo é quando o homem decide consciente ou inconscientemente, juntar o seu espírito ao espírito do Diabo, fazendo a escolha de viver uma vida de pecado, de devassidão, de vícios, de crimes, de cultos a falsos deuses, cultuando, até mesmo, espíritos demoníacos ou o próprio Satanás ou vivendo indiferente a Deus”. Complementa o pastor Luís Roldan.

 

 

 

 

https://mundoeducacao.uol.com.br/fisica/teoria-das-cordas.htm

www.inovacaotecnologica.com.br/noticias

www.brasilescola.uol.com.br

http://hora-de-semear.blogspot.com.br/2011 (Pr. LuisRoldan, bacharel em Teologia).

BÍBLIA Sagrada (Eletrônica, AT e NT). Europa Multimídia. Programação: Leandro Calçada, Ilustração: Wilson Roberto Jr. Colaboração: Thélos Associação Cultural.

CHO, Paul Yonggi. A Quarta Dimensão. Editora Vida, 1992.

Vide tópico 56 - Referências Bibliográficas